Uma maratona de programação de três dias reuniu cerca de 30 profissionais em torno de um objetivo: aprimorar os aparelhos de mudanças de via (AMVs) da companhia. O 2º Hackathon VLI, promovido pelas áreas de Engenharia de Operações e Tecnologia Ferroviária em parceria com o Inova VLI, aconteceu de 9 a 11 de novembro no espaço Raja Valley, em Belo Horizonte (MG).

Profissionais do sistema de informação, design e tecnologia se dividiram em cinco equipes que competiram para desenvolver o melhor método de verificar os registros do sistema de controle dos AMVs telecomandados pelo CCO, facilitando assim análises futuras de eventos e auditorias.

 

“Aprendi muito nessas quase 48 horas do evento, fazer parte de uma equipe em que a comunicação e apoio estão presentes foi muito gratificante”, diz Clarisse Almeida Silva, desenvolvedora de interface.

 

 

 

 

O sistema AMVs é essencial para a segurança nas ferrovias por indicar a linha pela qual cada trem deve passar.

“Precisávamos de um programa capaz de conferir mais confiabilidade e precisão à operação”, explica o analista de processos de engenharia Herinque Brant.

A equipe Rodeiro, formada por Fábio Morato, Gilberto Reginaldo da Silva, Leonardo Savio Ferreira e Marco Otávio Mello, foi agrande vencedora do evento. Os critérios avaliaram Funcionalidade, Desempenho, Interface de usuário, Multiplataforma e Criatividade do projeto. Agora, ele passará pelas adaptações necessárias para ser implementado pela companhia.

“Foi uma experiência muito boa, pude trocar experiências, conhecer novas pessoas e aprimorar as minhas habilidades”, avalia Fábio, analista de sistema de informação e um dos vitoriosos do Rodeiro.

 

A analista de inovação Camila Coury Ribeiro considera o evento um sucesso.

“Além do resultado técnico das soluções, o hackathon ajudou a aproximar a empresa do ecossistema de inovação e identificar talentos que podem se tornar futuros parceiros”, comemora.