Antigamente, pessoas e empresas conseguiam planejar facilmente os seus próximos 5 ou 10 anos. O mundo era mais previsível e a realidade fugia pouco ao planejado – para empresas, o que mudava mais eram questões simples, como a taxa de crescimento de mercado, por exemplo.

Hoje a realidade é muito diferente. A todo momento, é preciso lidar com novos concorrentes, novos produtos, mudanças de comportamentos e surgimento de tecnologias que num piscar de olhos podem deixar obsoletos seus produtos e processos.

Esse “cenário confuso” é conhecido como Mundo VUCA. O termo é um acrônimo para descrever quatro características marcantes do momento que vivemos: volatilidade (volatility), incerteza (uncertainty), complexidade (complexity) e ambiguidade (ambiguity).

No Mundo Vuca, ficou praticamente impossível para algumas empresas realizarem suas projeções, pois são muitas variáveis para serem consideradas.

“Muitas vezes, mais importante do que se planejar detalhadamente e acertar o futuro, é ser uma empresa ágil, que responde rápido às mudanças do mercado”, revela Alexandre Gallotti, um dos responsáveis pelo Inova VLI.

Para isso, é preciso que as empresas tenham uma equipe multifuncional e criativa, com mindset de crescimento e aberta a desafios e aprendizados contínuos. Em busca de se adequar a essa nova realidade, a VLI tem buscado desenvolver novas habilidades em seus empregados e parceiros, além de investir em programas de inovação, de transformação digital e implantar uma nova cultura organizacional. Confira:

Mundo Vuca

  • Volatilidade: nada é permanente, as tecnologias e tendências mudam muito rápido. Mais importante que investir em planejamentos muito detalhados é estar pronto para lidar com o inesperado e ter foco nos seus objetivos.
  • Incerteza: temos grande acesso a informações, mas não é suficiente para prever o futuro. Não há mais certezas de como um público vai reagir ou quais serão as próximas modas.
  • Complexidade: é a dificuldade de compreender o contexto de situações que podem ter inúmeras variáveis ou fatores de interpendências. É preciso ter uma visão abrangente do negócio e do mercado para estar preparado.
  • Ambiguidade: diferentes interpretações de um mesmo cenário podem ser igualmente pertinentes. Determinadas situações não podem ser analisados somente com base em experiências anteriores.

 

Programa de Inovação

O Inova VLI é um programa que busca identificar startups para desenvolverem projetos voltados à solução de problemas, melhoria de processos e aumento da eficiência da companhia.

“Acreditamos que a contratação das startups nos traz uma visão diferenciada e mais atenta às tendências tecnológicas do mercado, além de ganharmos velocidade no desenvolvimento das soluções”, afirma Camila Ribeiro, também do Inova VLI.

Além disso, a equipe tem um desafio importante de sensibilização e transformação cultural dos empregados, para que estejam atentos às mudanças, e sejam protagonistas na busca de novas soluções.

“Neste momento, destaco novamente a importância das startups, com quem estamos aprendendo sobre uma nova cultura e forma de trabalhar com foco na inovação”, complementa Alexandre Gallotti.

 

+VLI / TPS

Para melhorar o desempenho e os resultados é preciso mais do que modernizar redes, computadores e armazenar dados na internet. Para a VLI, a base de tudo começa na cultura e no comportamento de seu colaborador.

Foi com base nesse pensamento que em 2016, foi iniciada a implementação do +VLI, cultura inspirada no Sistema de Produção Toyota (TPS). Até o momento, já foram registrados mais de 1.000 kaizens ao longo da companhia.

 

Método Ágil

Como no mundo VUCA é cada vez mais difícil planejar o que vai acontecer daqui dois anos, a VLI vem aplicando gradualmente a metodologia ágil em alguns dos seus projetos.  A principal mudança está ligada ao desenvolvimento do chamado MVP, ou produto mínimo viável, que segue um processo de design progressivo até a entrega do produto final. Com o MVP, a equipe desenvolve pequenos módulos e realiza mudanças conforme os aprendizados no meio do caminho e conforme o desejo dos clientes, em vez de seguir um plano pré-determinado. O design é simples e as mudanças podem ser feitas à medida que o trabalho avança.

 

Transformação Digital

“Para se destacarem no mercado, as empresas devem desenvolver uma cultura de inovação que contribua à melhor qualidade de serviço aos seus clientes. Com a VLI não é diferente: encontramos, por meio da digitalização dos processos, uma forma de garantir a troca de informações mais ágil e assertiva”, explica Daniel Novo, gerente geral da área de Transformação Digital Cliente e Inovação.

Em conjunto com as áreas Comercial, de Relacionamento com o Cliente, TI e Operações, a equipe vem desenvolvendo desde março projetos com o objetivo de melhorar a experiência dos clientes. Com essas ações, a VLI busca se ajustar continuamente às mudanças do mercado e oferecer soluções logística cada vez mais alinhadas ao interesse e às exigências dos clientes. Confira alguns dos projetos em andamento:

Conecta: A proposta é oferecer aos clientes informações operacionais, administrativas e comerciais de forma cada vez mais digital e integrada. Estão sendo desenvolvidos boletins diários, integração com sistemas de nossos clientes e o Infol, dados disponibilizados em um portal via site ou aplicativo de celular.

Demand and Logistics Scenario Forecasting (Previsão do cenário de logística e demanda): Sistema de levantamento de dados e projeção das condições de mercado, meteorologia e economia que possam impactar os negócios para que assim seja possível projetar a demanda e o movimento das cargas.

Gestão Digital de Receitas Acessórias: solução digital para alavancar as receitas com estadias e armazenagem, melhorar a gestão e trazer previsibilidade e confiabilidade aos clientes.